segunda-feira, 4 de abril de 2016

Joaquim Barbosa e o "bonito apartamento em Miami, Florida"*

03/04/2016, Tyler Durden, Zero Hedge (excertos)

"Mossack Fonseca: As conexões nazista, da CIA e de Nevada ... e por que agora é a vez de Rothschild"


Traduzido pelo Coletivo Vila Vudu


"EUA são hoje o paraíso fiscal preferido dos endinheirados do planeta e especificamente, no território dos EUA, estados como Nevada, Wyoming e South Dakota."
"E, dado que Mossack Fonseca já era, os Rothschild já pularam para ocupar o trono vacante". Nunca faltarão Joaquims Barbosas."



"Nos PanamaPapers, NENHUMA referência a empresas e magnatas norte-americanos. O Guardian apressa-se a garantir que "grande parte do material vazado permanecerá privado". E nenhuma referência à intenção de 'oferecer' massivo material para calúnia às mídia-empresas comerciais em incontáveis países-alvos dos EUA. 

Mas vocês queriam o quê?! 

O 'vazamento' é administrado pelo altissonante mas risível “International Consortium of Investigative Journalists”, sustentado, pago e organizado pelo Center for Public Integrity, dos EUA. Entre os fundadores contribuintes listam-se Ford Foundation, Carnegie Endowment, Rockefeller Family Fund, W K Kellogg Foundation e Open Society Foundation (Soros), dentre muitas outras empresas. Que ninguém conte com exposição genuína dos protagonistas do vicioso capitalismo ocidental. Revelações, só selecionadas pela cara do criminoso, uma espécie de queima de arquivo. O segredos realmente sujos, permanecem bem guardados."

****************************************

Apesar de todo o excitamento das mídia-empresas e 'jornalistas' sobre as 'revelações' dos chamados "Panama Papers" vazados – nesse caso, longa lista de clientes da empresa Mossack Fonseca –, essa história pouco tem a ver com 'revelações' de como-os-super-ricos-fazem-de-tudo-para-não-pagar-impostos-preservar-o-anonimato-financeiro-e-de-modo-geral-cercar-a-própria-riqueza. 

Primeiro, que o mundo está cansado de saber que os super-ricos fazem precisamente isso. E não é surpresa que continuem a fazer, especialmente depois que a mesma ONG ICIJ revelou, ano passado, uma lista de 100 mil clientes do banco HSBC que há muito tempo não faziam outra coisa q não fosse roubar o fisco.

Dessa vez, os 'vazamentos' têm a ver com o mundo nebuloso dos paraísos offshore da evasão de impostos mas baseados em dados do Banco Mundial, FMI, ONU e bancos centrais, onde se escondem algo entre $21 e $32 trilhões de dólares, e onde agentes de incorporação e escritórios de advocacia em pequenos países do Caribe (e também em estados nem tão pequenos dos EUA) tornam possíveis a lavagem do dinheiro e as operações para "dar sumiço" no dinheiro dos super-ricos, convertendo aquele dinheiro em números irrastreáveis ocultados em empresas de fachada, inalcançáveis por autoridades do resto do mundo.

ATENÇÃO: Converter o próprio dinheiro em "números irrastreáveis ocultados em empresas de fachada" é, muito provavelmente, o que explica que Joaquim Barbosa, ministro aposentado do STF do Brasil, tenha criado duas empresas nos EUA (talvez outras; mas até agora só falou de duas). 

Ontem, pelo Twitter o ministro Joaquim Barbosa 'explicou':


Esse ministro Joaquim Barbosa é o mesmo 'ético' que perseguiu o ministro José Dirceu, com fúria de McCarthy caçador de comunistas. 
Adiante, o ministro José Dirceu foi condenado SEM PROVAS pela ministra Rosa Weber, "porque" a literatura lhe permiti(ria).
Hoje, quando o ministro Joaquim Barbosa curte seu apartamentinho em Miami, o ministro José Dirceu continua preso – sem processo e sem sentença [NTs].

LIBERTEM JOSÉ DIRCEU! LIBERTEM JOSÉ DIRCEU!
LIBERTEM JOSÉ DIRCEU! LIBERTEM JOSÉ DIRCEU!
______________________________________

(...) Sobre o estado de Nevada, EUA

Em 2013, o relatório de um Procurador argentino expôs ligações entre empresas de fachada no estado de Nevada envolvidas em grande escândalo de corrupção, e Mossack Fonseca. Quando aquelas empresas de fachada viraram tema de batalha judicial numa corte federal de Nevada, como mostravam os arquivos vazados, empregados de Mossack Fonseca providenciaram para remover registros em papel e apagar registros em computadores e arquivos telefônicos dos escritórios de MF em Las Vegas. Um empregado até viajou da América Central a Nevada para levar arquivos. “Quando Andrés veio a Nevada limpou tudo e levou todos os documentos para o Panamá,” segundo e-mail datado de 24/9/2014.

Mossack Fonseca negou "categoricamente" que ocultasse ou tivesse destruído documentos, nas declarações à ONG ICIJ: “Sejamos bem claros: não é política de nossa empresa destruir ou ocultar documentação que tenha relevância para qualquer investigação ou inquérito em curso.”

Os arquivos vazados também contradizem depoimentos feitos por Jurgen Mossack, no tribunal e sob juramento. JM disse à corte federal que sua empresa era separada de “MF Nevada” e de seus escritórios em Las Vegas, e que não tinha controle sobre eles. Mossack Fonseca “jamais manteve escritório, sede ou base principal de negócios em Nevada” – testemunhou JM em julho de 2015.

Mas, segundo a investigação da ONG ICIJ, documentos internos mostram realidade oposta; indicam que a sede da empresa na Cidade do Panamá controlava a contra bancária de MF em Nevada; e que os co-fundadores da empresa e um outro funcionário da empresa eram donos de 100% das ações de MF Nevada.

Por que Nevada é tão importante? Porque nos faz recordar que, segundo investigação recente do jornal Bloomberg, "EUA são hoje o paraíso fiscal preferido dos endinheirados do planeta" e especificamente, no território dos EUA, estados como Nevada, Wyoming e South Dakota.

Depois de anos e anos a 'denunciar' outros países e governos, que estariam ajudando milionários norte-americanos a ocultar dinheiro em paraísos fiscais offshore, o que afinal se viu foi que os EUA são paraíso fiscal preferido de ricos de todo o mundo que tentam escapar do fisco dos próprios países. 

Agora, ao resistir contra novos padrões globais de fiscalização e processo criminal, os EUA estão criando mercado novo e 'quente', convertendo-se em lugar preferencial para ocultar todo tipo de riqueza em fuga dos países de origem. 

Todos, de advogados londrinos a fundos suíços, estão nessa, ajudando os ricos do mundo a mover suas contas, tirando-as de locais como Bahamas e Ilhas Virgens britânicas, para Nevada, Wyoming e South Dakota.

“É irônico – não, é perverso –, que os EUA, sempre tão 'sérios' na condenação dos bancos suíços, tenham-se convertido na jurisdição preferencial para questões de sigilo bancário,” escreveu Peter A. Cotorceanu, advogado da empresa Anaford AG, de Zurique, em artigo publicado recentemente em periódico especializado, para advogados. “Estão ouvindo esse ruído 'de aspirador gigante que tudo suga'? É o ruído do dinheiro mundial sendo sugado para dentro dos EUA” – escreveu ele.

E todo aquele dinheiro corre hoje para os EUA, por uma razão muito simples: todo e qualquer dinheiro sujo – estrangeiro ou local – é bem-vindo nos EUA, sem perguntas, para ser protegido no mais total e impenetrável sigilo anti-impostos que há no planeta.

Ainda há quem suponha que, hoje, paraísos fiscais para norte-americanos, para dinheiro que foge de pagar impostos ainda seriam a Suíça, ou Bahamas ou, até, o Panamá. Mas, na verdade, para a maioria dos norte-americanos, outros paraísos fiscais já se tornaram inalcançáveis, depois de aprovada a Lei de Conformidade Tributária de Contas Estrangeiras [ing. FATCA], que tornou praticamente impossível enviar para outros países qualquer dinheiro norte-americano sujo. Assim sendo, se não tem para onde ir... o dinheiro norte-americano sujo (e também o dinheiro sujo do ministro Joaquim Barbosa do STF-Brasil)  permanece nos EUA. (...)

Além de tudo mais, há uma firma específica, que está comandando a conversão dos EUA, num neo-Panamá: o Banco Rothschild (...).

* * *

Para conselheiros financeiros, o atual estado de coisas é simplesmente uma boa oportunidade de negócios.
ATENÇÃO: Para o ministro Joaquim Barbosa, provável sonegação de impostos (o que, diabos, afinal, são "razões fiscais e sucessórias"?!), a coisa talvez tenha parecido "boa oportunidade de negócios". 
Explicaria a poka-vergonha TOTAL da 'explicação', no tuíto já citado... [NTs]
________________________

Nas notas de uma apresentação que fez em San Francisco, Penney, do Banco Rothschild, escreveu que "os EUA são efetivamente o maior paraíso fiscal do mundo.” Os EUA – acrescentou ele, num trecho das notas excluído da apresentação – "não têm recursos para aplicar aqui leis estrangeiras sobre pagamento de impostos, e bem pouca vontade de fazê-lo.”

Sim, é possível que Mossack Fonseca já seja história, com seus incontáveis clientes mega-ricos já expostos à execração pública, mas a fila anda: Rothschild já saltou e já se instalou no trono vacante do dinheiro mundial sugado para dentro dos EUA – maior paraíso fiscal do mundo. Nunca faltarão Joaquims Barbosas.*****

* 3/4/2016, Joaquim Barbosa, em tuíto, em  https://twitter.com/joaquimboficial/status/716791101286428673


2 comentários:

Roberto Machado Cassucci Cassucci disse...

Olá! Bom dia a todos os leitores/seguidores... Algumas Considerações...
a):- Os ¨Panama Papers¨ são Fictícios, pseudo documentos criados (C.1.@.) para comprometerem/embaraçarem Governos/Instituições que opõem-se aos interesses estadunidenses... [pouco provável]
b):- Os ¨Panama Papers¨ são Documentos Legítimos, ¨vazados seletivamente pela C.1.@.¨, de forma á preservarem em Segredo Absoluto, os nomes dos ¨alinhados¨ aos interesses estadunidenses... [muito provável]
c):- Os ¨Panama Papers¨ e seu Bombástico Vazamento, é uma Operação da Inteligencia estadunidense, atacando, desmoralizando e destruindo, aos olhos do mundo todo, os ¨Antigos Cartéis dos Paraísos Fiscais¨, a evidenciar que o único Real Paraíso Fiscal Seguro no Planeta, é o Estados Unidos... [quase certo]
d):- Um "Mix" entre as três alternativas, em quaisquer proporções, também é ¨passível de franca possibilidade¨...
Agora, uma ¨coisa¨ que me chama a atenção é : - Por que ¨Eu¨ levaria o meu Dinheiro para dentro de um país, que, a qualquer momento, BLOQUEIAM, CONGELAM E INDISPONIBILIZAM Ativos Soberanos Alheios, ao bel prazer de seus mais mesquinhos INTERESSES??? Qual é a vantagem???

maria disse...

Antigamente eu sabia que tinha mais sem vergonha fora da cadeia que pobre na cadeia. Hoje eu sei que continua mais sem vergonha fora da cadeia que pobre e rico também na cadeia. Quando alguém vai fazer alguma coisa para tirar o José Dirceu da cadeia!?