terça-feira, 21 de novembro de 2017

Ascensão irresistível de MBS… e possível queda (1/2), por Uwe Parpart e Pepe Escobar

21/11/2017, Uwe Parpart e Pepe Escobar, Asia Times



Traduzido pelo Coletivo Vila Vudu





Quando as limusines pretas chegaram na calada da noite do sábado, 4 de novembro e continuaram a chegar até o raiar do domingo 5 de novembro, poucos dos príncipes, ex-ministros, líderes militares, magnatas da mídia e empresários e comerciantes milionários convidados a se apresentarem no Hotel Ritz Carlton, no distrito diplomático de Riad, consideraram prudente ignorar o convite.

Entregues em mãos pela polícia saudita, os convites estavam assinados pelo príncipe herdeiro Mohammad bin Salman (MBS), presidente de um recém inventado Comitê Supremo para investigar corrupção em órgãos públicos, criado por uma série de decretos reais, poucas horas antes de começarem as prisões.

Relatório da Guerra da Síria: Exército Árabe Sírio libertou Al-Bukamal

20/11/2017, SouthFront, in The Vineyard of the Saker


Traduzido pelo Coletivo Vila Vudu


O trabalho de SouthFront não seria possível sem sua ajuda. Contribua:
via PayPal: 
southfront@list.ru 
ou via: 
http://southfront.org/donate/
ou via: 
https://www.patreon.com/southfront/







Dia 19 de novembro, o Exército Árabe Sírio (EAS), o Hezbollah e milícias apoiadas pelo Irã restabeleceram o controle sobre a cidade fronteiriça de al-Bukamal, depois de uma semana de combate intenso contra os terroristas do ISIS que ali estavam implantados. As Forças Aeroespaciais Russas apoiaram ativamente o avanço do Exército Árabe Sírio.

Pretexto bizarro: EUA intrometem-se na América do Sul

17/11/2017, W. T. Whitney, Counterpunch


Traduzido pelo Coletivo Vila Vudu




Os EUA impuseram bases militares na América Latina e já deslocaram tropas para aquela parte do mundo. A 4ª frota dos EUA lá está, cercando as rotas marítimas. Essas ações, deve-se supor, têm a ver com guerra, com preparação para a guerra, com ocupar territórios. Seja como for, os encarregados precisam construir uma narrativa que faça sentido. No que tenha a ver com a América Latina, o governo dos EUA quase sempre argumenta que suas forças militares estariam reagindo a terroristas ou a narcotraficantes ou a insurgências.

domingo, 19 de novembro de 2017

Israel, Arábia Saudita: Precondições para guerra contra o Hezbollah

17/11/2017, The Saker, Unz Review e The Vineyard of the Saker


Traduzido pelo Coletivo Vila Vudu




SouthFront acaba de divulgar um vídeo, com análise muito interessante sobre a possibilidade de uma guerra que envolveria Líbano, Arábia Saudita e, possivelmente, Síria, Irã e Israel. Significa, é claro, que Rússia e os EUA estariam envolvidos. Primeiro, por favor, assistam ao vídeo (ing.).


Hoje, então, me proponho a analisar as implicações desse cenário.

Contexto: fracasso completo dos anglo-sionistas em todos os fronts

sábado, 18 de novembro de 2017

Revelado o esquema saudita de Trump, por Alastair Crooke

17/11/2017, Alastair Crooke, Consortium News


Traduzido pelo Coletivo Vila Vudu




Aaron Miller e Richard Sokolsky, na revista Foreign Policysugerem "que o mais notável sucesso internacional de Mohammed bin Salman pode bem ser a operação de cortejar e conquistar o presidente Donald Trump e seu genro, Jared Kushner." Na verdade, esse "sucesso" talvez venha a ser o único sucesso de e MbS.

"Nem precisou de muito esforço", escrevem Miller e Sokolski: "Sobretudo, a nova amizade colorida refletiu oportuna coincidência de imperativos estratégicos".

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Sumário da Síria: A batalha por Idlib delineia-se no horizonte, por Moon of Alabama

16/11/2017, Moon of Alabama


Traduzido pelo Coletivo Vila Vudu




Nas últimas semanas houve poucos movimentos significativos. A Guerra contra a Síria caminha aos poucos para o fim. A luta política prossegue como sempre. O secretário de Defesa dos EUA Mattis anunciou planos estranhos, que de modo algum conseguirá realizar.

Situação geral dia 3/11 – Mapa

Nosso Sumário da Síria anterior examinou a situação em torno da última área de refúgio do Estado Islâmico, perto da fronteira Síria-Iraque:

Hassan Nasrallah: Saad Hariri e o Líbano, reféns da Arábia Saudita?

5/11/2017, Discurso do secretário-geral do Hezbollah, Sayed Hassan Nasrallah, depois da renúncia do primeiro-ministro do Líbano Saad Hariri [excertos] (tradução, transcrição e legendas ao francês, de Sayed Hassan. Vídeos 12 e 3)


Traduzido pelo Coletivo Vila Vudu






[…] Meu discurso dessa noite será todo dedicado a esse ponto (a demissão/renúncia do primeiro-ministro Saad Hariri). Para não começar diretamente pelas análises ou para não nos basearmos simplesmente em análises (discutíveis), quero começar pelos fatos e dados confirmados. Fatos conhecidos por todos os ministros do governo atual, que os ouviram diretamente do chefe do governo, especialmente os ministros que se reúnem no conselho de ministros encarregados de fazer aplicar a lei eleitoral. 

O que direi aqui e agora estava nos veículos das mídias, mas quero destacar, porque nossos ministros também ouviram diretamente e assistiram desde o início a todo o processo do qual falarei. E por isso consideramos isso como dados, como fatos, não como análise construída de fora e de longe.