sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Um Golpe Contra a Verdade (Putin é o presidente secreto dos Estados Unidos), Por Paul Craig Roberts

05.01.2017, Paul Craig Roberts, ICH



tradução de btpsilveira





É soberba a brincadeira de Jon Rappoport com a imprensa prostituta dos EUA: “Vladimir Putin é o presidente secreto dos Estados Unidos.”

 “Sim senhor. É isso mesmo. Agora, os Estados Unidos fazem parte da URSS. Está tudo dominado. Trump é um comunista que recebe ordens de Putin. Trump é petralha (“red”, no original – NT). Ele enganou a todos todo o tempo. Ele é um comuna bilionário.”

O escárnio é real, e ninguém merece mais o ridículo que os representantes da mídia como Washington Post, New York Times, CNN e o resto da mídia prostituta que finge fazer jornalismo de verdade. Eu mesmo e outros jornalistas de verdade, como Gleen Greenwald, temos enfatizado (aqui,  por exemplo), as falsas notícias espalhadas imprudentemente e à vontade pela mídia comprada está trazendo uma ameaça real de guerra termo nuclear.

Já há anos a Rússia e seu presidente experimentam uma demonização que parece interminável. Os russos sabem que a invasão da Ossétia do Sul pela Georgia (realizada enquanto Putin estava nos Jogos Olímpicos de Pequim) foi uma provocação de Washington. Sabem também que o golpe promovido por Washington na Ucrânia (desta vez, enquanto Putin se encontrava nas Jogos Olímpicos de Sochi) foi uma provocação com a intenção de tomar a base naval que a Rússia tem na Crimeia, nas margens do Mar Negro e cortar a saída da Rússia para o Mediterrâneo. 

Os russos sabem que os Estados Unidos sabem que as acusações de que a Rússia teria hackeado os e-mails de Hillary Clinton e as eleições presidenciais de 2016 são mentiras. Os russos estão bem conscientes de que a “ameaça russa” criada por Washington não passa de uma mentira, alinhada a permutações tais como invasão da Rússia a qualquer momento contra países Bálticos e a Polônia. Os russos compreendem que as bases de mísseis ABM dos Estados Unidos nas fronteiras da Rússia são provocações, como provocações são os exercícios militares da OTAN no Mar Negro e nas regiões fronteiriças da Rússia. Se quiser, você pode acrescentar seu próprio item a esta lista.

A mentira cresceu no meio do próprio absurdo e está onipresente, institucionalizada no governo dos Estados Unidos, na CIA, entre os executivos das agências e entre muitos senadores e deputados. Essas mentiras são repetidas e validadas por repetições intermináveis na imprensa através do mundo ocidental e são vistas pela Rússia como indicações de que as populações ocidentais estão se preparando para um ataque militar contra a Rússia. Putin já alertou publicamente várias vezes que a propaganda enganosa do mundo ocidental é perigosamente desestabilizadora. Porém até agora, até agora, como ele próprio já percebeu, ninguém ouviu seus alertas.

Washington está tão enfronhada e determinada na sua propaganda enganosa que o Congresso aprovou e Obama promulgou uma lei para a inteligência que contém uma seção, Título V, que autoriza medidas ativas para conter disseminadores de falsas notícias. Esses disseminadores seriam os sites da mídia social alternativa, como este site, que desafia as mentiras vendidas pelo governo como verdades. 

A mídia social alternativa, que é sincera e honesta, está sendo acusada de estar sob influência russa. Foi criado no último verão, cercado de mistério e segredo, um website que postou uma lista de 200 sites supostamente sob influência russa, direta ou indiretamente. O Washington Post irresponsavelmente publicou um longo artigo corroborando a falsa notícia de que havia 200 sites trabalhando para o governo russo.

Falando de outra forma, a supressão da verdade é a última defesa do establishment corrupto que governo os Estados Unidos. Durante os últimos 24 anos, três governos estabelecidos em Washington assassinaram milhões de pessoas em mais de nove países, assim como à liberdade civil nos EUA.  Para encobrir esses crimes imensos, sem paralelo no história, a imprensa prostituta mente, calunia e rotula pessoas.

Mesmo assim o regime criminoso em Washington se apresenta para o mundo como o protetor indispensável da democracia, dos direitos humanos, da verdade e da justiça. Como disse a porta voz do Ministério de Relações Exteriores da Rússia recentemente, a única coisa que faz os Estados Unidos excepcionais é o uso do poder a serviço do mal.

Washington coloca uma marca de “agente russo” não apenas em seus oponentes, mas em todos aqueles que dizem a verdade, na esperança de que a demonização da Rússia tenha amedrontado o povo (norte)americano o suficiente para que voltem as costas para aqueles que dizem a verdade.

Parece óbvio até mesmo para o ingênuo mais despreocupado que um establishment que vai longe a ponto de fazer o diretor da CIA atribuir publicamente a vitória de Trump à interferência russa e não oferecer o menor fiapo de evidência – de fato, está em face de evidência totalmente conclusiva em contrário – está determinado a permanecer no poder a qualquer custo.

O ataque de propaganda enganosa que a CIA promove de maneira aberta, escandalosa e sem precedentes contra o presidente eleito, levou Trump a desafiar o diretor da CIA John Brennan. Já existem relatos de que Trump pretende diminuir e reorganizar a agência de inteligência. O último presidente que disse tal coisa, John F. Kennedy, foi assassinado pela CIA antes que pudesse tomar qualquer medida contra a agência. Kennedy acreditava que não deveria tomar qualquer medida contra a CIA antes que fosse reeleito. Isso deu tempo para a Cia planejar e executar seu assassinato.

Trump parece perceber o perigo. Ele anunciou sua intenção de suplementar a proteção fornecida pelo Serviço Secreto (que se voltou contra Kennedy) com segurança privada.
Não é tremendo? O presidente da Rússia faz um alerta público de que as atitudes de Washington estão levando o mundo para uma guerra termo nuclear e suas declarações são ignoradas. O presidente eleito dos Estados Unidos está sofrendo ataque total da CIA e sabe que não pode confiar na principal força de segurança de seu próprio país. 

A lógica impõe que estes assuntos estejam sob análise em toda a imprensa, mas você encontrará discussões sobre o assunto apenas em alguns sites da imprensa alternativa, como este, que aliás, foi apontado pelo PropOrNot e pelo Washington Post como “sob influência russa”.


Dr. Paul Craig Roberts – foi Secretário Assistente do Tesouro para Política Econômica e diretor associado do Wall Street Journal. É colunista para Business Week e Scripps Howard News Service. Sua coluna na Internet em site próprio http://www.paulcraigroberts.org/ atrai seguidores pelo mundo inteiro. 

2 comentários:

Ora Hora disse...

Eu acho uma honra estar entre os principais 200 sites a nível mundial.

Jonas disse...

Me sinto pela primeira vez pessoa capaz de entender o que se passa no mundo graças a esses 200 sites. Começo acreditar em Armadinejad. Holocausto realmente existiu?